Fisioterapia
Especialista explica sobre dores que atingem os dentes, a musculatura mastigatória e a cabeça
Zenta - César B Waisberg - MAr 2022.jpeg

ENTREVISTA: CÉSAR B. WAISBERG, FISIOTERAPEUTA

 

ZENTA: Quais profissionais tratam da dor orofacial?

 

CÉSAR B. WAISBERG: Fisioterapeutas, dentistas, fonoaudiólogas, psicólogos, médicos, muitas vezes é necessário equipe interdisciplinar.

 

Z.: Quais as dores mais comuns na região da face?

 

C.B.W.: Dores musculares e articulares. As dores dentárias vêm em primeiro lugar, mas, obviamente, são de exclusividade da odontologia

 

Z.: Quais as causas da dor orofacial?

 

C.B.W.: Tem etiologia multifatorial, dificilmente há uma causa apenas. Alguns fatores podem ser predisponentes, outros podem ser o gatilho da dor e outros ainda sustentam esta dor.

 

Z.:  A dor orofacial atinge quais partes da face?

 

C.B.W.: Dores que atingem dentes, musculatura mastigatória, inclusive na região da cabeça, e as dores de cabeça também, a articulação temporomandibular (ATM).  

 

Z.: É correto tratar como dor orofacial quando você não consegue identificar onde dói, exatamente? (por exemplo, quando parece que tudo dói, a cabeça, os dentes...). 

 

C.B.W: Quase sempre é possível identificar onde dói, mas nem sempre a dor está lá, pode ser mediada pelo sistema nervoso central.

 

Z.: Como tratar? 

 

C.B.W.:  Depende de extensa anamnese e pode envolver diversos profissionais. Na fisioterapia, inclui orientação, educação em dor, terapia manual, modalidades elétricas.

 

Z.: É mais comum a partir de determinada idade?

 

C.B.W.: Pode atingir todas as idades, mas prevalece em mulheres dos 18 aos 50.

 

Z.: Temos como prevenir/evitar?

 

C.B.W.: Difícil dizer. É muito complicado tratar o risco quando não há histórico de dor. Alguns profissionais orientam evitar hábitos deletérios, como roer unhas, alimentação dura, dormir com o rosto sobre a mão. Eu tenho uma abordagem diferente.

 

César B. Waisberg é graduado em Fisioterapia pela Universidade Sagrado Coração - USC - Bauru e professor da Pós-Graduação na mesma instituição. Pós-Graduado em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial - IEO - Bauru. Mestre em Biologia Oral - Faculdade de Odontologia - USP - Bauru. Formação em Fisiopatologia Crânio-Cérvico-Mandibular - Cedime - Chile. Associado à International Association of the Study of Pain (IASP).