Marca pessoal
Ela é a expressão de nossa personalidade e pode influenciar nossa vida pessoal e a profissional

ENTREVISTA  COM A PSICÓLOGA E ORIENTADORA DE CARREIRA GISELE VENTURA ESSOUDRY

Como a marca pessoal pode influenciar a vida pessoal e profissional

 

ZENTA: O que é marca pessoal?

GISELE VENTURA ESSOUDRY: A marca pessoal é o conjunto de sentimentos, impressões, ideias que nós transmitimos para as outras pessoas por meio de nossa aparência, atitudes, comportamento, jeito de ser. Já se perguntou qual o impacto que você causa no outro? Somos responsáveis pelas impressões que causamos nas outras pessoas. 

Confiança, autoridade, firmeza, segurança, elegância, tranquilidade, acolhimento, julgamento, energia alta, motivação, criatividade são exemplos do que nossa marca pessoal pode ou não transmitir. 

A marca pessoal é a expressão da nossa personalidade, nossa essência. 

O problema que muitas pessoas enfrentam é quando a marca pessoal não está congruente com quem você realmente é! 

Baixa autoestima, problemas emocionais, inseguranças, ou até mesmo falta de autoconhecimento podem causar essa diferença entre quem somos e o que transmitimos. 

Nossa marca pessoal acaba influenciando em nossa vida pessoal e profissional. Tipo de amizades, empregos, clientes, parcerias que atraímos para nós. 

Z.: Quais são os tipos de marca pessoal?

G.V.E.: Gosto de comparar com produtos apenas para ilustrar e clarear o conceito de marca pessoal, lembrando que obviamente somos muito mais do que isso!! Mas vou dar alguns exemplos pensando no indivíduo como profissional. 

MARCA GENÉRICA - aquela marca que não tem nada que a destaque das outras. Tudo parecido. O consumidor opta por ela pelo preço e pela facilidade de encontrar. Seria o produto “aleatório”. Lógico que pessoas não são aleatórias nem genéricas, mas um profissional pode ser visto  dessa forma no mercado se não cuida da sua marca pessoal!!

CÓPIA - aquele que segue modinhas para ser aceito. E sabemos que modinha acaba caindo no risco da superficialidade. Não tem autenticidade. É uma cópia. 

FALSIFICAÇÃO - É quem usa de má-fé, diferentemente da cópia. Quer se passar pelo original, esbarra na falta de ética. Assim como produtos falsificados. 

MARCA DE LUXO: podemos pensar nos profissionais super requisitados, conceituados, que podem cobrar um alto valor. Têm suas agendas cheias, concorridas. São objetos de desejo pois proporcionam status para quem utiliza seus serviços. Lembrando que, assim como os produtos de luxo, podem ser de excelente qualidade ou não. Às vezes, decepcionam. E lembramos que marcas de luxo estão sujeitas a falsificação. Esta posição pode ser resultado de esforço, estudo, conhecimento e realmente se tornarem autoridade no assunto. Ou, pode ser resultado de marketing pessoal, uma bela embalagem e um nome famoso.

BARATINHA/PROMOCIONAL - Do tipo leve 3, pague 1. Implora para ser comprada. Atenção: não necessariamente é de baixa qualidade. Pode até ser de melhor qualidade do que a de luxo. Mas, ao contrário da marca de luxo, a baratinha é desvalorizada porque se vende por qualquer preço, topa qualquer negócio. Não se dá valor.

MARCA AUTÊNTICA - É a ideal! Melhor de todas. Original. Expressa o que tem de melhor. Conhece sua essência e a transmite. É uma marca referência.

Estes são alguns exemplos. Podemos pensar nas marcas clássicas, tradicionais, modernas, inovadoras.

Z.: Ao falar em marca pessoal, como aproveitar o currículo, o histórico, as experiências de vida?

G.V.E.: O currículo e sua história de vida podem ser parte da sua marca pessoal. Uma pessoa mais madura pode aproveitar sua experiência de vida e nem por isso ser uma marca antiga ou ultrapassada. Ao contrário! Que tal um clássico autêntico? Um clássico renovado? Clássicos são sempre atuais! Pode ser também uma marca moderna. Idade não é impeditivo para uma marca pessoal forte e autêntica! Ao contrário. Tem bagagem, conhecimento. Não vai ser cópia nem falsificação.

Só precisa se apropriar disso, confiar em si, se valorizar, e, por que não? Caprichar na embalagem! O que é melhor do que um belo conteúdo dentro de uma linda embalagem?

Z.: Qual é a importância de ter uma marca pessoal?

G.V.E.: Todos temos uma marca pessoal. A questão é o que cada um faz da sua marca pessoal. O importante é cuidar da própria marca pessoal. Como? Por meio de atitudes, comportamentos, autocuidado, autoconhecimento. Autoconhecimento é fundamental.

Z.: Como se reinventar?

G.V.E.: Entrar em contato consigo mesmo(a) e refletir profundamente: o que quero pra mim? Quais meus objetivos? Como eu me vejo? Como quero ser visto(a)?

Se você quer se reinventar, precisa de objetivos claros, autoconhecimento, e deve se desprender de crenças limitantes como, por exemplo, em relação à idade ou a pensamentos de incapacidade.

 

Gisele Ventura Essoudry é psicóloga (CRP 06118/106), especialista em Saúde Mental pela UNIFESP e orientadora de Carreira.

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook
  • Instagram