COTIDIANO - DINHEIRO: Pix




PIX pode ser vantajoso para lojista e para cliente, reduzindo custos, Entenda!

ENTREVISTA: LIAO YU CHIEH, educador financeiro do C6 Bank

Z.: O que é o PIX?


LIAO YU CHIEH: Pix é mais um sistema de pagamento dentre as formas de pagamento: TED, cheque, dinheiro, cartão de crédito e débito.

Se você tem uma conta em banco, outras pessoas podem pagar para você por meio do PIX. Você pode querer não usá-lo para pagar, mas não tem como recusar de receber. Não tem como aderir ou não aderir: se você tem conta no banco, já está participando.


Z.: Como funciona?

L.Y.C.: Vamos pensar na TED e fazer uma analogia. Todos já sabem como fazer uma TED por telefone, por aplicativo, meio que existe há mais de uma década. Mandar dinheiro pelo PIX é a mesma coisa, vai usar os mesmos meios. Terá apenas que apertar o botão que indica PIX ao invés daquele de TED.


Z.: Qual é a diferença entre ele e os outros meios de pagamento?


L.Y.C.: Vamos comparar com a TED:


TED - ao receber não paga tarifa, mas pode ser cobrada ao fazer (o banco até pode isentar, em alguns casos) x PIX é gratuito;

TED só funciona em horário comercial x PIX, 24 horas;

TED é um sistema mais antigo, enquanto o PIX tem todas as vantagens de uma tecnologia mais moderna.


Z.: Por que fazer um PIX? Quais as vantagens para quem paga e para quem recebe?


L.Y.C.: Comentamos que chega mais rápido e é de graça. Mas vamos pensar em situações práticas. No comércio, por exemplo. É uma facilidade porque a loja/a empresa não precisa esperar a compensação do pagamento para entregar o produto comprado. Quando o pagamento é por boleto, o lojista fica na expectativa de receber e segura a mercadoria por cerca de dois dias. Isso não ocorre se o pagamento é por PIX, porque ele recebe na hora, 24 horas por dia, sete dias por semana. Então, o item adquirido não fica ocupando espaço no estoque e o consumidor recebe mais rápido.

Quanto maior for a adoção do PIX, mais barato o produto vai ficar, mais rápido vai sair da loja, liberar espaço no estoque e reduzir custos para o lojista. Ainda pelo fato de o PIX ser de graça, pode baratear os produtos ou serviços caso haja concorrência. Mas, se o produto for exclusivo, pode gerar mais lucro, dependendo da política da empresa.


Imagine uma outra situação, em que o filho faz um PIX para o pai na sexta-feira à noite. Ele recebe imediatamente e, se quiser usar esse dinheiro durante o fim de semana para comprar qualquer coisa, já poderá dispor dele.


Z.: E como fica a segurança?


L.Y.C.: A segurança técnica é igual a uma TED e maior do que o dinheiro, que pode ser furtado, perdido, queimado…

Normalmente, as questões de segurança passam pelo usuário. Por exemplo, se você está com o celular na mão, fotografando um QR Code para pagar o pipoqueiro, estará logado com o banco e com o celular desbloqueado, naturalmente. Isso significa que é preciso tomar cuidado com a segurança física, se preocupar com o furto/roubo do telefone. Outra questão comum quando se fala de segurança é a dos sequestros relâmpagos. Como a compensação é imediata, a qualquer dia e hora, isso também ocorrerá se ladrões levarem a vítima a um caixa eletrônico ou exigirem uma transferência via PIX.

SOBRE A CHAVE PIX

A chave Pix é como um "apelido", comenta o educador, que você usa para pagar, receber, transferir. A chave pode ser um e-mail, seu número do celular, seu CPF, seu CNPJ. Pode até ser uma chave aleatória, uma sequência que o banco cria para você.

E por que isso é melhor do que os sistema que usávamos antes? Porque nós éramos obrigados a fornecer cinco dados para quem fosse fazer um pagamento ou um depósito para nós: nome completo, banco, agência, conta e CPF/CNPJ. Com o Pix, é possível fornecer apenas a chave. Assim, temos mais privacidade. Como cada conta pode ter até cinco chaves Pix, você pode passar uma chave aleatória a alguém que não é próximo, ou seja, não precisa passar nenhum dado pessoal. E pode optar por fazer o mesmo para pessoas em quem confia ou passar apenas um daqueles outros dados.

Liao Yu Chieh exemplifica que uma pessoa pode ter como chaves Pix da sua conta o seu celular, o seu CPF e três chaves aleatórias. Se quiser criar mais uma chave, terá que excluir uma delas, lembrando do limite máximo de cinco chaves por conta.

Além de funcionar com esse sistema de chave, o Pix também pode ser feito com o uso do QR Code, aquela caixinha preta que é um código de barras e pode ser escaneado com a câmera do celular. Essas duas formas vieram para se somar às outras tradicionais formas de pagar e transferir, como a TED e o DOC.



8 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo