Existem "super alimentos"?

Gabriela Halpern aborda relação nutrição x humor, energia e memória



ENTREVISTA - DRA. GABRIELA HALPERN, NUTRICIONISTA


Conversamos com a Dra. Gabriela Halpern, nutricionista e especialista em Fitoterapia e em Nutrição Clínica Funcional, para saber mais sobre alguns alimentos que contribuem para a memória, o humor e a energia, além da questão da suplementação. Confira:


Z.: Fato ou mito: existem alimentos que podem ajudar na memória? Existem mesmo “super alimentos”, como alguns chamam certos itens, como goji berry, quinoa, entre outros?

G.H.: O ômega 3, encontrado em peixes de água salgada e profunda (ou em cápsulas), ajuda na memória, na prevenção da depressão, no equilíbrio hormonal e tem uma ação anti-inflamatória. Como na alimentação atual é raro atingirmos a recomendação de ômega 3, é frequente que a suplementação seja indicada (por um profissional).

Castanhas e sementes (abóbora, gergelim, girassol, chia, linhaça), levedo de cerveja e gérmen de trigo, em função da concentração de nutrientes, são alimentos importantes para agregar nutrientes às refeições ou lanches intermediários.

Um outro ponto importante para manter boa memória, humor, energia e evitar depressão e ansiedade é manter os níveis de glicemia estáveis, com alimentos ricos em fibras (frutas, verduras, legumes, cereais integrais, grãos e sementes). Abacate, ovo, são ótimos alimentos para a memória.

Z.: Vemos que há muitas pessoas que carregam vários comprimidos e fazem uma rotina com isso, tirando, é claro, os medicamentos necessários para controlar/combater doenças. Existe um excesso de ingestão de vitaminas para repor nutrientes que poderiam ser supridos com a alimentação?

G.H.: A suplementação pode ajudar em situações de deficiências nutricionais identificadas por sinais e sintomas (exemplo: unha fraca, queda de cabelo, fadiga, etc.), em situações de estresse (por aumentar a demanda por nutrientes), por alterações identificadas em exames laboratoriais, em algumas doenças. O ideal é que a suplementação seja utilizada por um curto período de tempo e que depois a alimentação “ dê conta” de suprir todas as necessidades.


O bom funcionamento do trato gastrointestinal é fundamental para uma boa absorção de nutrientes. Por exemplo, muitas pessoas têm refluxo, gastrite e utilizam inibidores da bomba de próton por muito tempo. Isso pode interferir na saúde gastrointestinal diminuindo a acidez do estômago e prejudicar a absorção de nutrientes. Não estou dizendo para não usar a medicação, mas sim que o uso contínuo da medicação pode atrapalhar uma boa digestão e aproveitamento dos nutrientes. Só para citar um exemplo.

Cuidar de todo o trato gastrointestinal é fundamental para a manutenção da saúde, então é preciso ficar atenta se você tiver: aftas com frequência, dificuldade de digestão, gases, eructação, barriga estufada/empachada, refluxo, gastrite, intestino solto ou preso, para citar alguns dos sintomas mais comuns. Se algum desses sintomas te incomodar, um nutricionista pode ajudar a ajustar sua alimentação e tentar identificar a causa do seu desconforto.

Gabriela Halpern é nutricionista graduada pelo Centro Universitário São Camilo e atua há mais de 20 anos na área. É Mestre em Ciências Aplicadas pelo departamento de Pediatria da Unifesp/Escola Paulista de Medicina, Especialista em Fitoterapia e em Nutrição Clínica Funcional. Atende em diversas clínicas, como a Clínica Halpern e o ambulatório de Endometriose da Unifesp.


2 visualizações
  • LinkedIn ícone social
  • Facebook
  • Instagram