Psicologia
Hipnoterapia - saiba mais sobre essa técnica terapêutica que acessa o subconsciente com a hipnose
Zenta - Tamara Paves .jpg

ENTREVISTA: TAMARA PAVES, PSICÓLOGA E HIPNOTERAPEUTA

ZENTA: O que é hipnoterapia? 

 

TAMARA PAVES: A hipnoterapia é uma técnica terapêutica que utiliza a hipnose como ferramenta para acessar o subconsciente através de um relaxamento mental. Esse acesso ao subconsciente permite que o hipnoterapeuta guie o cliente à uma regressão ao momento que ele sentiu pela primeira vez a emoção a ser tratada, que está sendo o gatilho da dor, física ou emocional. Essa regressão é sempre muito reveladora, permite ressignificar traumas e, a partir disso, substituir a programação mental com emoções mais funcionais, de acordo com o desejo do cliente.  

 

É uma técnica terapêutica de resultado muito rápido e duradouro.

 

Z.: Quais os objetivos deste tipo de terapia?

 

T.P.: O inconsciente age sempre de acordo com a sua programação. O que está dentro do subconsciente, nós automaticamente fazemos acontecer. Então o objetivo é agir sobre as emoções negativas, ressignificando-as a fim de fazer uma nova programação mental. Essa reprogramação permite a você se livrar das amarras que estão te dominando, exercer todo o seu potencial e parar de auto sabotar a própria felicidade. 

 

Z.: A quem se destina?

 

T.P.: A todas as pessoas que estejam querendo reparar algo na sua vida. Seja algum sintoma físico psicossomático, ansiedade, fobia, síndrome do pânico, depressão ou mesmo emoções negativas que estejam te impedindo de exercer o seu potencial em sua melhor versão. 

  

Z.: Como são os resultados? Pode nos contar algumas dessas experiências?

 

T.P.: Os resultados são rápidos e efetivos. Após a sessão da regressão, os pacientes já saem se sentindo muito melhor. Após a regressão, o subconsciente continua se reprogramando progressivamente, e os resultados são atingidos por completo em até 20 dias. A minha especialidade é a insegurança no público feminino, adultos e adolescentes. Vou dar um exemplo específico. Tenho muitos, mas meus exemplos são longos, resumem padrões de vida antigos e suas respectivas transformações:

 

M., 39 anos, engenheira de produção, formada em uma das melhores universidades de São Paulo. Mãe de 2 filhos. Há dez anos já estava fora do mercado de trabalho, desde que foi demitida da empresa onde trabalhou durante cinco anos. Após a demissão, M. teve o segundo filho, e apesar do desejo de voltar ao mercado de trabalho, algo lhe impedia de tomar o passo seguinte. Cada vez havia outro motivo. M. tinha consciência disso, de que estava se auto-sabotando, mas apenas a consciência não fazia com que ela conseguisse mudar de rumo. A partir da regressão, descobriu um trauma há muito já esquecido, o qual tinha sido o gatilho para seu sentimento de rejeição. Esse sentimento ficou contido, passou razoavelmente despercebido, sem que seu subconsciente desse muita importância a ele, até o evento de sua demissão. Esse evento traumático reforçou o antigo sentimento de rejeição e passou a agir no seu subconsciente como uma necessidade importantíssima de se proteger do mesmo. A proteção encontrada pelo subconsciente foi a de evitar situações nas quais ela poderia ser avaliada. Assim, M. passaria não só a estar afastada do mercado de trabalho, como também se restringiria em muitas outras situações. M. saiu da sessão de hipnoterapia maravilhada com a sua descoberta e sentindo-se empoderada. Esse sentimento de estar no controle de sua mente possibilitou a ela agir da maneira que ela gostaria, enfrentando situações que até então estavam sendo impensáveis para ela, e, principalmente, a fazer isso com naturalidade. Sem peso, já que conseguiu se libertar dos traumas passados.

Z.: Como é o processo? É preciso ter um acompanhante?

 

T. P.: Primeiramente, agendamos uma sessão para análise de caso, com duração de cerca de 90 minutos. Nessa sessão, eu também te apresento em detalhes o método que utilizo. A partir dessa análise de caso, poderei saber até que ponto consigo te ajudar e você saberá até que ponto o meu processo é interessante para você. 

Quando você optar por fechar o processo de hipnoterapia, agendamos uma outra sessão, pelo menos uma semana após a sua análise de caso, pois preciso que você faça uma 'preparaçãozinha' específica que irei te passar. 

A sessão de hipnoterapia tem a duração de duas a três horas. De maneira geral, o paciente já obtém 100% do resultado nessa primeira sessão. Ele  já sai da sessão se sentindo muito bem, mas o resultado como um todo aparece de forma gradativa dentro de uma semana ou dez dias. Após duas semanas, caso o paciente sinta que ainda não obteve todo o resultado esperado, o que por alguns motivos pode acontecer, agendamos outra sessão para hipnoterapia. E, depois de tudo, mais um retorno, três semanas após a última sessão.

Não é necessário acompanhante e nem pode. Acompanhante, no caso, seria como levar alguém para a consulta com o psicanalista. 

 

Z.:  Em hipnose o paciente fica inconsciente ou pode perder o controle? Existe algum risco?

 

T.P.: A pessoa fica o tempo todo acordada, 100% consciente. A pessoa está o tempo todo no controle, o hipnoterapeuta não tem nenhum poder sobre o paciente hipnotizado, e a técnica não apresenta risco nenhum.

 

Z.: Hipnoterapia substitui a medicina convencional ? 

 

T.P.: Absolutamente não. A hipnoterapia é uma técnica para tratar emoções. Se for para substituir algo, seria a psicoterapia, apesar de que eu, como psicóloga, vejo as duas coisas em caminhos paralelos. 

 

A hipnoterapia trabalha traumas passados a nível inconsciente, e a psicoterapia pode estar focada em questões atuais, e sempre a nível consciente. Já recebi pacientes que estão em análise há anos, que foram indicados pelas próprias psicanalistas para resolver algo específico que tenha virado um incômodo latente. Saíram do processo com a sua questão 100% satisfeita, e sem nenhuma intenção de abandonar a sua análise pessoal.

 

Para quem tiver interesse, curiosidade, sugiro entrar no meu instagram: @tamarapaves. 

Postei lá vários vídeos explicativos, e desfazendo alguns mitos e medos muito comuns.

 

Z.: Há alguém que não pode se submeter a esse tipo de terapia?


T.P.: Todas as pessoas com nível cognitivo normal e que estejam em plena consciência podem se submeter a hipnoterapia. Excluem-se apenas pessoas com nível cognitivo baixo a ponto de não conseguirem se submeter às regras e sugestões do hipnoterapeuta. Ou seja, não é viável realizar a técnica com pessoas em estado senil ou em pessoas em coma. E, em crianças, a técnica é realizada de maneira lúdica, bastante diferente do modelo adulto. Mas também as crianças precisam ser capazes de compreender e obedecer às sugestões, portanto precisam ter a linguagem desenvolvida, o que se dá, em geral, a partir dos três anos de idade.

 

Tamara Paves é psicóloga e hipnoterapeuta.