ENTREVISTA: ELENA MARTINIS, MENTORA E PALESTRANTE

 

ZENTA: O que são mapas mentais?

 

ELENA MARTINIS: Sabe aquela hora em que você quer organizar uma atividade, em casa ou no trabalho, e mil ideias vêm à sua mente? Você não sabe por onde começar, acaba fazendo um monte de listas de afazeres e não consegue otimizar o tempo de execução! E, pior, sente que tem dificuldade de soltar a criatividade e se perde em meio a tantas ideias.

Os mapas mentais são uma metodologia extremamente visual criada para potencializar a nossa criatividade e o surgimento de novas ideias. Eles permitem uma visão ampla das atividades e uma melhor organização do nosso pensamento. Em resumo, os mapas mentais tiram você da situação de estar perdido, quando precisa planejar uma ação, tomar uma decisão ou mesmo pensar em uma solução para algum problema. 

O mapa mental foi criado pelo especialista em atividade mental e aprendizagem Tony Buzan, e seus livros sobre o tema já foram traduzidos em mais de 30 idiomas. O autor utilizou a similaridade do formato dos neurônios e sinapses do cérebro para criar um método que nos permite ter uma visão do todo e expandir a nossa criatividade sobre temas e assuntos os mais diversos, como:

·   organizar uma atividade pessoal;

·   pensar um projeto para a empresa;

·   reformar a casa ou o home-office;

·   organizar a chegada de um hóspede;

·   escrever um pequeno texto ou um livro;

·   elaborar uma aula ou palestra;

·   organizar os estudos;

·   planejar uma viagem.

 

Z.: Costumamos fazer anotações para planejar ou realizar uma atividade nova, por exemplo. Qual é a diferença de usar a ferramenta, o mapa mental?

 

E.M.: Essa diferença é bem interessante, e se assemelha a você conhecer uma cidade nova tendo ou não um mapa dela em mãos. Quando você faz anotações, ou a famosa lista de tarefas, o seu pensamento é totalmente linear e pouco criativo. E mais: fica difícil agrupar por itens similares.

Agora, quando você usa um mapa mental para planejar ou realizar uma nova tarefa você coloca a ideia central bem no meio do papel e vai escrevendo ao redor os principais tópicos ou temas. É a partir desses temas que você vai agregando as ideias que surgirem, que já ficam agrupadas por similaridade. Assim, além de ter a visão do todo, você ainda é estimulado pelo seu próprio cérebro a pensar em novas ideias para cada item.

O mapa mental tem uma metodologia própria, baseada em diversos estudos, que mescla palavras-chave, cores e símbolos simples, fornecendo ao cérebro mensagens instantâneas e conduzindo-o a focar em cada tema em particular, ao mesmo tempo em que mantém a visão do todo.

 

Z.: Como o mapa mental pode auxiliar na criatividade e agregar novas ideias a um projeto?

 

E.M.: As nossas experiências são baseadas principalmente em sensações e em imagens. Sabe aquela história de que uma figura vale mais do que mil palavras? O mapa mental vem potencializar essa característica, fornecendo uma metodologia que funciona como uma estrada onde a nossa criatividade pode rodar de forma mais confortável. O importante é saber que um mapa mental leva algum tempo para ser concluído, alguns dias ou até mais. E que deve ficar em local visível e de fácil acesso, para que novas ideias possam ser agregadas rapidamente.

Ao colocar suas ideias no papel você pode partir para um planejamento das ações de forma mais estruturada. Ou seja, de um mapa mental pode sair um cronograma mais eficaz onde você otimize seu tempo. Da mesma forma, caso você faça um mapa mental para realizar o sonho de escrever um livro, você pode organizar os capítulos e o próprio fluxo do texto, sem se perder ao longo do caminho.

 

Z.: Em quais atividades pode-se usar mapas mentais?

E.M.: Os mapas mentais podem ser utilizados em inúmeras situações, além das que já comentamos acima. Você deve usar essa ferramenta toda vez que pensar em algum assunto que precisa resolver ou realizar sobre o qual as ideias vêm à sua cabeça de forma desordenada e por isso você tenha dificuldade de ter uma visão geral do que quer fazer. Sabe aquela sensação de não saber por onde começar ou de estar rodando em círculos? Pois é, o mapa mental é a ferramenta certa para esses momentos.

A minha experiência de trabalho tem me permitido utilizar os mapas mentais em mentorias com pessoas na minha faixa de idade, os 50+, e que desejam pensar em novas atividades, como começar um pequeno negócio ou escrever um livro, por exemplo.

As pessoas podem construir um mapa mental usando materiais que já têm em casa: uma folha de papel branca grande e lisa e canetas coloridas. O uso das cores facilita o nosso cérebro a enxergar os “blocos” de temas ao redor da ideia central e por isso cada tema deve ter uma específica.

Existem aplicativos no computador que fazem mapas mentais online e são excelentes para trabalho em equipe, quando uma empresa deseja que seus colaboradores participem agregando sugestões de mapa. Mas caso o objetivo seja trabalhar apenas com as suas próprias ideias, eu aconselho usar papel e caneta: o escrever à mão potencializa a nossa criatividade.

 

Sugestão de curso:

Mapas Mentais: aprenda a colocar suas ideias no papel e aumentar sua criatividade – Yolex:

https://yolex.com.br/courses/mapas-mentais/

 

Sugestão de leitura:

Buzan, Tony. Mapas Mentais – Métodos criativos para estimular o raciocínio e usar ao máximo o potencial do seu cérebro. 

 

Elena Martinis é mentora e palestrante especialista em Empreendedorismo 50+ e Empreendedorismo Feminino. É autora do Livro “Mulher de Negócios - Faça sua empresa acontecer” e coautora dos livros “Ensino de empreendedorismo no Brasil” e “Revolução 50+”.

Educação
Mapas mentais: conheça uma forma diferente de colocar suas ideias no papel e aumentar a sua criatividade
Zenta - Foto Elena Martinis_edited.jpg