As pessoas maduras querem trabalhar, fortalecer o networking e as parcerias, e aprender o que é necessário para seguir no mercado. Essas são algumas das conclusões da pesquisa "Maturis em Tempos de Covid-19", conduzida pela pesquisadora Juliana Seidl, da Maturi. Criada por Mórris Litvak, a Maturi conecta profissionais 50+ e empresas.

 

O objetivo da pesquisa, resumidamente, foi identificar os impactos do isolamento sobre a saúde, o trabalho e as finanças das pessoas maduras. Além disso, a Maturi quis saber se e como esse público 50+ cumpre o isolamento, suas estratégias para enfrentar as dificuldades e sua percepção sobre o termo "grupo de risco". Foram 4242 respondentes durante o mês de maio, sendo que a maior faixa foi a de 51 a 60 anos, com 60,3% das respostas, seguida daqueles entre 61 e 70 anos, com 28,9%. 

 

Confira alguns destaques:

Situação de trabalho 

Empresário/empregador - 38,1%

Empregado com carteira assinada ou funcionário público - 34,7%

Autônomo/prof liberal/prestador de serviço - 32,5%

(ultrapassa 100% por permitir escolher mais de uma opção)

 

Sobre o isolamento - cumpre?

Totalmente - 12%

Só sai para farmácia/mercado/emergência - 77%

Parcialmente (sai para trabalhar) - 9%

Sai com frequência - 2%

 

Como se sente, a partir de uma lista com 25 sentimentos - Abaixo, os cinco que apresentaram números acima de 30%:

Cuidadoso

Com saudades 

Ansioso

Tranquilo

Paciente

 

Impactos da pandemia

1. Sobre sua vida em geral - quase um terço entre positivo, igual e negativo: 35,6% (impacto mais negativo), 33,7% (neutro), 30,7% (impacto mais positivo);

2. Sobre o trabalho - 51% : negativo, mas a outra metade, praticamente, atribuiu notas de 5 a 10;

3. Sobre a situação financeira - 53,3%: negativo. Como estratégia para enfrentar as dificuldades, 60,1% afirmaram reduzir gastos e custos;

4. Sobre a saúde: negativo (notas entre 1 e 4): 16,2%, mas 24,7% atribuíram notas entre 9 e 10, como impacto mais positivo;

Avaliação da própria saúde - 92,5%  consideram sua saúde boa ou muito boa, apesar de 51,2% afirmarem ter pelo menos um problema de saúde.

 

Concorda com o termo grupo de risco usando a idade (60+) como um dos indicadores?

Não - 39,2%

sim - 60,8%

Argumentos usados por quem discordou: Comportamento e problemas de saúde é que deveriam ser critérios. A idade que define idosos no Brasil precisa ser revista.

Por quem concordou: Idade avançada pode vir acompanhada de problemas de saúde, mas não é a regra.

 

Entre as conclusões da pesquisa, destaque para o seguinte:

  1. Necessidade de formar redes de networking e parcerias

  2. Importância de aprendizado contínuo, especialmente em tecnologia, inteligência emocional e empreendedorismo;

  3. Trabalhar: é o que as pessoas maduras querem, seja empreendendo, investindo em uma segunda carreira, como empregados ou empregadores;

  4. Necessidade de criação de oportunidades e incentivo para empresas contratarem pessoas maduras.

Imagem: Freepik (encurtador.com.br/dipLR)

Impactos da pandemia
Pesquisa revela efeitos sobre saúde, trabalho e finanças das pessoas 50+
  • LinkedIn ícone social
  • Facebook
  • Instagram